Simon vs. A Agenda Homo Sapiens - Becky Albertalli

By | 10:53 Leave a Comment




Sinopse: Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte. Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar. Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu. Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.


E acabei pegando esse livro depois de uma indicação de nosso colaborador, Lucas =D
O livro foca em algo bem importante e que todos sabemos que já deveria mais do que ser aceito. Simon é gay. E, como a maioria, ele não entende a necessidade de ter que se assumir para todos. Assim como ele espertamente cita que héteros não precisam sair do armário, não é mesmo?


Ele falou sobre o oceano entre as pessoas. E que o objetivo de tudo é encontrar uma margem até a qual valha a pena nadar.


O livro é bem simples. Temos o dia a dia de Simon, a convivência dele com amigos importantes, alguns de infância e outros mais recentes. E, como maior plano de fundo na história, Simon está se comunicando com outro garoto gay, o qual ele sabe poucas coisas pois os dois preferem se manter no anonimato. E é em um dia de conversa, onde tudo o que Simon quer fazer é desabafar e se sentir bem, que algo atrapalha essa rotina e ele se vê em um caminho estranho, sendo chantageado por alguém que ele nem esperava que pudesse descobrir seus reais sentimentos.


Mas estou cansado de sair do armário. Tudo que eu faço é sair do armário. Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo uma cerveja. E, todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo.


E, enquanto Simon tenta preservar e manter em segurança seu relacionamento com "Blue", notamos que a história se torna calma, envolvente e não tão dramática quanto o esperado. Em vários capítulos vamos notando a interação entre os dois garotos, como eles se completam com pequenas observações, dando o máximo para fazer parte um da vida do outro, respeitando o limite de anonimato que eles mesmos traçaram. Mas, é claro, as coisas começam a ficar mais profundas para Simon, que tenta encontrar Blue em cada garoto próximo a ele.


Você já se sentiu preso dentro de si mesmo? Não sei se isso faz algum sentido. É que, às vezes, parece que todo mundo sabe quem eu sou, menos eu.


Acho que todo o enredo mostra aquele lado simples e complexo de estar no ensino médio, lidando com amigos e aqueles primeiros sentimentos importantes de paixão. É quase nostálgico. O livro também aborda uma diversidade muito grande, fugindo do padrão em ter todos os personagens brancos ou heterossexuais. E, também não cita apenas um religião, o que já mostra como todos podemos ser tão diferentes e iguais ao mesmo tempo, cada um com suas qualidades.



Como comentário extra, você não acha que todo mundo devia ter que sair do armário? Por que o comum é ser hétero? Todo mundo devia ter que declarar o que é; devia ser uma coisa bem constrangedora, não importa se você é hétero, gay, bi ou sei lá o quê. Só uma ideia. 



Becky Albertalli conduz a história de jeito calmo, mas não deixa nenhum enredo sem fim e tudo vai se interligando perfeitamente. Ela conta uma história sobre ser jovem, adolescentes, olhar o mundo e entender que escolhas precisam ser feitas e que nem tudo se resume a quem você ama ou não.

Provavelmente, nunca vou ter um namorado. Estou ocupado demais tentando não me apaixonar por alguém que não é real.



Admito que acho o Simon um personagem levemente egoísta, mas fica fácil relevar algumas coisas ao lembrar que é apenas um adolescente querendo preservar algo muito pessoal. E todo o enredo tem personagens com diferentes personalidades, o que acaba preenchendo mais ainda a história. A leitura é simples, sem grandes surpresas apesar de trazer algumas boas reviravoltas. Também posso admitir que esperava saber um pouco mais de Blue, talvez do ponto de vista dele, mas acho que estou apenas mal acostumada com alguns livros.

Tem uma grande parte de mim que eu ainda estou experimentando. E não sei como ela se encaixa. Como eu me encaixo. É tipo uma nova versão de mim. Eu só precisava de alguém que conseguisse aceitar isso. 



É um livro com um ritmo tranquilo, onde os personagens não desenvolvem absurdamente, apesar de alguns terem mudanças notáveis. O que não considero de todo ruim pois nenhum adolescente muda da noite para o dia, O final acaba sendo um pouco amplo, nos deixando imaginar algumas coisas para Simon e outros personagens, mas não é de todo ruim.
Esperava um pouco mais do livro, em um todo, mas trás toda uma mensagem importante e mostra um pouco do que muitos adolescentes (ou não), ainda enfrentam todos os dias.
=D


As pessoas são mesmo como casas de quartos grandes e janelas pequenas. E, talvez seja mesmo uma coisa boa que a gente nunca pare de surpreender os outros. 



Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: