O Aprendiz - Conjurador#1 - Taran Matharu

By | 11:18 Leave a Comment





Sinopse: Em O aprendiz, primeiro volume da série Conjurador, Fletcher é um órfão de 15 anos e, para sua surpresa, conseguiu invocar um demônio do quinto nível. O problema é que apenas os nobres deveriam ser capazes de conjurar criaturas e usá-las na guerra contra os orcs. Mas plebeus como Fletcher também podem ser conjuradores, e o garoto consegue uma vaga na Academia Vocans, uma escola de magos que prepara seus alunos para os campos de batalha. Lá, ele irá enfrentar o bullying dos nobres, mas também aprenderá feitiços e fará amigos incomuns, como anões e elfos. Além de se provar digno de uma boa patente na guerra, Fletcher e seu grupo de segregados precisam se unir e vencer o preconceito que sofrem na desigual sociedade de Hominum.



E depois de poder ter tido a chance de conhecer o autor enquanto ainda trabalhava na livraria, finalmente consegui ter um tempo para ler o primeiro livro da série de Taran. Porém, ainda assim, demorei mais do que queria para terminar o livro, mas posso dizer que é uma leitura bem interessante.

Como muitos outros livros, comecei sem ter lido a sinopse, deixando que a surpresa fosse me conquistando a cada página. O que foi uma ideia muito boa, ainda mais porque assim eu não crio tantas expectativas e me surpreendo mais, apesar de ter ouvido muita coisa boa sobre o livro.

Se não formos capazes de enfrentar as adversidades unidos, então já estamos derrotados.


Aqui, vamos seguir o caminho do jovem de 15 anos, Fletcher, um garoto que foi abandonado ainda quando bebê, sendo criado pelo ferreiro de Pelego, Berdon, que o criou muito bem e o transformou em seu aprendiz. Fletcher vive a vida aprendendo, seguindo sua rotina, sendo alvo de maldade para alguns filhos de pessoas mais importantes, mas tentando ser o melhor que pode, com o que pode.
E é claro que toda essa trama acaba mudando quando em um dia de vendas, Fletcher esbarra em um antigo oficial, que tinha a posse de um livro que tentava vender a todo custo, que ele encontrou de um conjurador morto em batalha. E é bem aí que tudo começa a mudar.

Fletcher acaba conseguindo um pouco mais do que o livro, algo que prefiro deixar em segredo para toda a trajetória ser melhor, e acaba indo parar em Corcillum, diretamente para uma escola de aprendizes, Vocans.
Acho que a partir dai vamos sempre tendo um pouco mais da personalidade de Fletcher, que se mostra um garoto disposto a ajudar qualquer um, mesmo que não seja totalmente confiante sobre si mesmo. Ele tem esperanças, claro, mas é legal ver como sua personalidade vai mudando ao longo do livro. E ele não faz isso sozinho. Fletcher se rodeia de pessoas muito boas e ruins, que acabam tendo um peso enorme em tudo o que ele é e o que faz.

De alguma forma, as palavras que ele tinha deixado não ditas ao longo dos anos, eram do que mais se arrependia.



O livro é cheio de seres fantásticos, o que sempre me faz amar as histórias. Porém, preciso admitir que o livro tem um ritmo que não me agradou tanto. Ele não vai a lugar algum em certos momentos, mas a escrita do autor é tão boa que ainda te mantem ali, virando as páginas e desejando mais.
Acho que um outro detalhe que me incomodou foi a maneira como todos os jovens de 14, 15, 16 anos falavam, as vezes parecendo adultos demais. Entendo que cada enredo tem sua realidade, mas ainda me incomodava o fato de que falavam de jeito decisivo demais enquanto, por um, lado não sabiam bem o que fazer. Mas, são apenas detalhes porque o livro tem muitos personagens bons, ainda mais quando se trata de professores que vão guiando alunos tão perdidos quanto Fletcher.

O maior inimigo de um guerreiro pode ser também seu maior professor


O final já vem com um pouco mais de emoção, também. Onde todos começam a mostrar um pouco do que aprenderam, como anda a relação de cada um com seus demônios particulares e onde tudo vai dar. O final é bom, seguido de algo que já te deixa querendo ler o segundo livro o quanto antes, mas ainda me mantém sentindo aquele meio termo entre algo bom e algo ameno. Hum...
De toda forma, não muda o fato de que foi um livro bem interessante, com um enredo bom, histórias que iam se ligando e todo um contexto de passado, presente e futuro e que me deixaram super curiosa. Agora, é esperar para poder ler o segundo, que já tenho em mãos =D

Para todos que procuram um livro de fantasia, com orcs, elfos, anões e que gostam de uma leitura um pouco mais simples do que outros livros do gênero, recomendo tranquilamente ;D


Só que há um segundo caminho. Não sei aonde leva, ou quais são os perigos que nos aguardam nessa trilha, mas sei no fundo do meu coração que é melhor seguir o destino incerto do que aquele da gloriosa porém garantida derrota. 

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: