Apenas Um Ano - Gayle Forman

By | 11:33 Leave a Comment




Sinopse: Em Apenas um Dia, os momentos de paixão entre Allyson e Willem foram interrompidos de maneira abrupta, lançando a jovem em um abismo de questionamentos e dor. Agora a história é contada pela voz de Willem. Sem saber exatamente o que o atraiu na garota de olhos grandes e jeito comportado, o rapaz inicia uma busca obsessiva por pistas que levem até a sua Lulu mesmo sem saber sequer o seu nome verdadeiro. Enquanto tenta compreender o mistério que os separou, Willem se esforça para costurar relacionamentos desgastados e procura respostas para o futuro. Mais do que uma aventura de verão, o encontro em Paris significou para ele o início da vida adulta. Da mesma autora dos best-sellers Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi. Apenas um Ano reúne todos os ingredientes de um romance imperdível: viagens, saudade, encontros, desencontros e amor.




Depois de Apenas Um Dia, onde temos o começo de toda a história pelos olhos de Allyson,agora conhecemos um momento depois pelo ponto de vista de Willem, o garoto que cruzou o caminho de Allyson em sua viagem à Paris.
O ponto de partida do livro nos dá uma explicada no final totalmente chocante do primeiro livro. Como quero evitar spoilers, recomendo que vá ler o primeiro antes de continuar por aqui. Estejam avisados =D


Foi por acaso que a encontrei. E foi por acaso que a perdi. É preciso dar crédito ao universo, à maneira como ele nivela coisas desse tipo.



Willem acorda em um hospital, com a mente confusa, sem quase lembrar de quem é, onde está, por quê está ali e quem deixou para trás. Mas ele sabe que perdeu algo e, conforme tenta se lembrar, as lembranças começam a voltar aos poucos. Então, sabemos que por causa de uma briga com skinheads, Willem se machucou tanto que não encontrou qualquer maneira de voltar até Allyson, a qual deixou dormindo para tentar encontrar um café da manhã e fazer o dia dos dois começar bem.


Deixar que as pessoas tomem conclusões precipitadas às vezes é mais simples do que explicar uma verdade complicada



E é com essa pouca informação que Willem vai se encontrando e continua em busca da garota, por ter certeza que ela provavelmente pensa que ele a deixou de propósito, sem qualquer aviso e levando seu relógio, que ficou em seu pulso.

O que faz a história interessante? A escrita. Eu tenho sérios problemas com livros em que um personagem fica eternamente procurando por algo e nunca encontra. (E isso sempre me faz lembrar de Cidades de Papel -.-). A diferença é que Gayle Forman mantém aquela escrita que te prende do começo ao fim e faz de uma simples busca, algo muito mais profundo.


E lá estava ela, no trem. Era a terceira vez, em vinte e quatro horas, que eu a via, e, quando passei por ela na cafeteria do trem, lembro-me de ter sentido um puxão. Como se o universo dissesse: Preste atenção.


Enquanto lia, ficava sempre naquela expectativa de que Willem encontraria Lulu, a garota que ele não sabe sequer o real nome, mas que mudou toda sua rotina e vida. E Willem começa a fazer de tudo para a encontrar porque sabe que aquele único dia que passaram juntos, mudou tudo dentro dele. E já que Willem tem essa busca eterna, as páginas se tornam mais fáceis de lidar conforme vamos conhecendo mais do personagem, entendendo seus reais sentimentos por ela, pelo mundo, pela necessidade de viajar e de nunca voltar para casa.


Há uma diferença entre perder algo que sabia ter e perder algo que descobriu ter. Uma é decepção. A outra é verdade. 


E é esse o ponto alto do livro todo. Não é a busca e o resultado dela, sendo positivo ou não. O livro se prende muito no amadurecimento do personagem, em todas as pessoas que ele mantém ao redor, desde amigos próximos até meros conhecidos de viagem que ficam ou vão embora. Sem contar as mulheres que ele ficou uma vez e que ele nunca mais iria querer rever, mas precisou de algum favor. Vamos desde o garoto que nunca quis parar de viajar, até aquele que se vê pensando na família de antes, sua casa e por onde sua mãe anda.


(...) O oceano é imenso. E o mundo é ainda maior. E talvez tenhamos chegado o mais próximo que devêssemos chegar.


Como disse antes, o livro flui muito bem, te deixa curioso e o tédio não é algo que domina, apesar da busca ser algo que leva um grande, grande tempo. Não digo também que ela tem um fim, acho que é algo que prefiro manter em segredo para que vocês possam descobrir. Mas...a jornada toda até o final vale muito a pena. Admito que um ponto ou outro pareceu um pouco em excesso, sem ter uma necessidade de existir, ainda mais lá para o final, o que fez o livro dar uma certa enrolada. Mas nada que seja absurdo.


Qual a definição de insanidade? Fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.


Agora....o final.
Sinceramente? Finais que não são exatamente um final sempre me deixam agoniada, mas como o livro não se tratava só da busca pela garota, mas quase como uma busca pessoal por uma verdade que Willem nem sabia existir dentro de si, fazem o final se encaixar bem e terminar em um ponto bom. E digo que é bom porque poderia ter sido ótimo se tivéssemos um pouco mais daquele momento, algo que nos levasse à um depois e tirasse algumas dúvidas. Porém, não é o que acontece e eu fiquei com aquele aperto dentro de mim, precisando de mais.


Por que ela não me preparou? Por que não me ensinou sobre a lei universal do equilíbrio antes de eu ter que aprender por mim mesmo? Talvez assim eu não sentisse tanta saudade de tudo. 


No fundo, o final se resume a algumas expectativas que eu criei, como sei que muitos outros leitores devem ter feito o mesmo. O que não é ruim, mas não é algo totalmente esperado. E, no geral, é um livro que vale a pena, ainda mais se você leu o primeiro e não tem certeza quanto a continuar.
Deixo avisado que não é uma real conclusão, mas apenas uma etapa da jornada, mesmo que seja o fim da série =D


Não tenho certeza de que seja possível amar e manter algo em segurança ao mesmo tempo. Amar alguém é um ato tão intrinsecamente perigoso. No entanto, é no amor que está a segurança. 


Informações me falam que existe um conto chamado " Apenas uma Noite", e que deve dar aquele final que faltou nesse livro, preenchendo aquele vazio e curiosidade. Resta saber se em algum momento a editora Novo Conceito colocará nos planos um lançamento do livro. Ou seja, as respostas que tanto queríamos só podem ser encontradas, por enquanto, em um e-book em inglês, com algumas meras 40 páginas. ( Ainda preciso ler._.)


Foi apenas um dia e apenas um ano. E talvez um dia seja o bastante. Talvez uma hora seja o bastante. Talvez o tempo não tenha nada a ver com isso. 



Para quem quer dar uma continuidade ao romance, com um livro que nos faz pensar sobre nossas próprias escolhas e como nem sempre damos o real valor a quem cruza nosso caminho...indico totalmente ;D
Recomendo que foquem em quem Willem é, e não apenas no grande encontro. Assim a leitura será muito mais proveitosa o/


Talvez ambos estivéssemos errados, e ambos estivéssemos certos. Não é uma coisa ou outra, sorte ou amor. Acaso ou destino. Para a dupla felicidade, talvez se precise dos dois. 

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: