Ajin - Hiroyuki Seshita

By | 08:27 Leave a Comment




Anime: Ajin
Autor: Hiroshi Seko
Direção: Hiroyuki Sehita
Estúdio: Polygon Pictures


Olá! A pedido da Mila eu voltei para esse cantinho de indicações e erupções culturais diversas para falar sobre animes. Dessa vez ela me convidou a falar de Ajin e, sem pensar duas vezes, topei. Mas, antes de eu discorrer um pouco a respeito dessa obra tenho que deixar aqui uma consideração estritamente pessoal.

Eu geralmente não gosto de animes feitos em Computação Gráfica (CG), acho que perde-se muito da naturalidade do traço e eu tenho um afeto muito grande pelas expressões das personagens e convenhamos que trabalhar isso com CG é um tanto difícil. Posso colocar aqui alguns péssimos exemplos de anime feitos em CG sendo o mais atual, dessa ultima temporada de lançamentos, o Hand Shakers. Basta só 10 minutos do primeiro episódio para ver o quão pecável é uma animação feita dessa forma, mas isso não é uma regra já que a CG vem sido usada em animes já tem um tempo e é compreensível uma vez que animações fluídas demandam um tempo e um investimento em animadores e desenhistas que nem sempre o estúdio tem como bancar. Aquelas cenas de luta super coreografadas cheias de detalhes e movimentos complexos exigem uma atenção e um investimento bruto! Ou mesmo aquelas cenas com exércitos marchando ou uma legião atacando alguns animes alternam entre a animação 2d e a CG justamente para manter a qualidade de animação. Dito isso, eu quero apenas deixar claro que o fato de eu ter gostado de Ajin é uma surpresa muito grande, mas após minha breve reflexão sobre o conteúdo e sobre os dados técnicos do anime espero tornar compreensível o motivo disso.





Agora vamos Falar de Ajin.
O Anime se trata de um thriller de ação em um mundo onde existem esses seres imortais, seres identificados como Ajins e eles vivem dentro da sociedade. Basicamente, o que os difere de humanos a maioria das vezes é o fato deles voltarem a vida imediatamente após morrerem. Sendo assim, quando houve a primeira aparição de uma entidade dessas logo o governo declarou uma espécie de caça às bruxas para propósitos de pesquisa, ou seja, oferecem uma grana preta para aqueles que conseguirem capturar ou mesmo denunciar um Ajin, o que é um azar imenso para nosso protagonista Nagai Kei, um garoto de 17 anos que apenas anseia por boas férias de verão. Seus anseios (e ele próprio) foram atropelados por um caminhão enquanto ele voltava para a casa e, como a maior parte dos humanos que é atropelado por um caminhão, Nagai morre esmagado por algumas toneladas de metal. Porém, ele não é bem um humano, é um Ajin, ele mesmo não sabia disso então foi realmente uma surpresa para todos quando ele se regenera do atropelamento.





À partir daqui, o que se segue é bem previsível. Nagai torna-se um foragido pois não quer ser feito de rato de laboratório e ser estudado o que faz a trama focar em sua constante fuga. Até então Ajin não havia me tragado de fato. Eu estava um tanto inseguro com relação a animação que consegue manter uma qualidade exemplar por toda a trama e o roteiro ainda não havia conquistado meu interesse. Bom, isso até aparecer o que pra mim é um dos melhores vilões dos últimos anos em animes. Estou falando de um senhorzinho com cara de simpático chamado Satou. Esse senhorzinho fez para mim o anime ir de inseguramente medíocre para ser incrivelmente interessante.
Satou também é um Ajin e como Ajin ele cansou-se de ser caçado e viver foragido. Então, ele toma uma decisão : Ele acha que os Ajins devem governar e, para isso, vai matar quem estiver no caminho.






Se o anime se tratasse apenas de violência gratuita, lutas bem coreografadas e mortes sangrentas, eu ainda não poderia considerá-lo bom, mas a maneira que a trama é desenvolvida junto do amadurecimento de Nagai e a obsessão de Satou, tudo torna-se extremamente instigante.
Em dado momento nós que temos uma perspectiva geral como telespectadores chegamos a ter dúvidas a respeito de quem é confiável ou não. Oque faz de Ajin um thriller interessante é que existe um dilema moral e uma constante afronta ao psicológico das personagens.





Para quem procura algo que gere reflexão ao mesmo tempo seja dinâmico, que consiga desenvolver um drama mesmo durante a ação; Para quem busca personagens complexos que tem a perspectiva de um ser imortal e ainda assim são extremamente humanos em suas frustrações e ascensões ou mesmo para aqueles que buscam apenas uma dose razoável de sangue e violência gratuita com um velho badass que manda bala e luta muito, junto de um protagonista que aos poucos vai mostrando que tem cérebro para resolver alguns conflitos, então Ajin atende a tudo isso e até um pouco mais.

O Anime tem duas temporadas fechadas e quatro OVA’s, cada temporada com 13 episódios com aproximadamente 24 minutos cada, fica a recomendação, assistam! Quem sabe vocês não se surpreendem? Eu sei que eu me surpreendi.





Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: