A Lâmina da Assassina - Histórias de Trono de Vidro - Sarah J. Maas

By | 08:11 Leave a Comment




Sinopse: Conheça o caminho da assassina. Pavimentado com sangue, lágrimas e suor. Implacável, sedutora, letal. Poucos conhecem seu rosto, menos ainda sobrevivem à sua fúria. Não à toa Celaena Sardothian é sinônimo de morte. Suas lâminas são certeiras, assim como seu estranho código de honra e seu aguçado senso de justiça. Mas como uma menina, encontrada agonizando pelo rei dos Assassinos de Adarlan, se tornaria a campeã do rei? Disputada pelo capitão da guarda real e o próprio príncipe herdeiro? No centro de intrigas políticas? 

Acompanhe Celaena vencer um lorde pirata e toda sua tripulação; o encontro como uma curandeira; seu treinamento com o Mestre Mudo, senhor dos assassinos silenciosos, nas dunas do deserto Vermelho; a prisão nas Minas de Sal de Endovier; ou, ainda, sua luta contra o mais escorregadio e traiçoeiro dos adversários — o próprio coração.

Sabe quando você lê um livro, ainda mais aqueles extras onde você não espera tanta coisa, e esse te satisfaz de um jeito incrível e te faz criar um amor maior pela personagem, de uma maneira que você sequer imaginou? Pois bem. É isso o que A Lâmina da Assassina fez comigo.
O livro tem exatos cinco contos contando um pouco da história de Celaena, antes de todos os fatos que acabamos conhecendo no primeiro livro. Caso queira ler mais sobre ou apenas relembrar, acesse a resenha AQUI.
A resenha não contém spoilers intensos, mas cita momentos e deixa algumas coisas subentendidas. Aviso dado ;D


- Age assim porque realmente faz parte de sua natureza, ou apenas porque tem medo de lidar com as pessoas? 
        - Sou a maior assassina do mundo. - Ela ergueu o queixo. - Não tenho medo de ninguém. 




No primeiro conto, A ASSASSINA E O LORDE PIRATA, acompanhamos Celaena como nos foi mostrado antes: uma assassina cheia de confiança, capaz de olhar ao redor e saber que tinha o mundo na palma das mãos apenas por ser protegida e poderosa. E, com todo seu jeito, a assassina tem uma missão de seu mentor, que a obriga a ir junto de Sam (que foi citado rapidamente no primeiro livro) e notamos como a personalidade dela é forte e, por muitas vezes, difícil. Ainda mais quando a convivência dos dois assassinos não é das melhores. Todo o conto nos leva à um ápice, algo que começará a criar vários problemas aos dois personagens depois de tomarem algumas decisões muito importantes e que iriam contra tudo o que deveriam fazer.


(...)A vida não é fácil, não importa onde esteja. Fará escolhas que achará serem certas, depois sofrerá por causa delas.


No segundo conto, A ASSASSINA E A CURANDEIRA, deixamos a tensão de decisões pessoais de lado e encaramos de frente as consequências de cuidar de algo com as próprias mãos. Celaena acaba passando um bom tempo sozinha para complementar todo o castigo que ainda teria que lidar e é aí que notamos um outro lado da assassina. Já tínhamos notado que, apesar dos pesares, ela sabe pensar um pouco além de si mesma e esse conto foi quase um complemento sobre esse lado da personagem. Notamos que ela sabe ser quem é, mas ainda pode usar do seu tempo para ajudar outras pessoas a se cuidarem, ou ao menos mostrar um caminho para impedir que certas coisas aconteçam.
Gosto de pensar que esse conto foi um tipo de preparação para tudo o que viria.


- Se você aprende a suportar sua dor, pode sobreviver a qualquer coisa. Algumas pessoas aprendem a acolhê-la, a amá-la. Algumas suportam a dor ao afogá-la em mágoa, ou ao se fazerem esquecer. Outras a transformam em raiva. 



Já no terceiro conto,A ASSASSINA E O DESERTO, que admito ser o meu favorito, o grande castigo acaba tomando forma e Celaena se vê obrigada a enfrentar uma longa viagem e se dirigir até os assassinos silenciosos, procurando o Mestre Mudo para permanecer lá por alguns meses enquanto espera ser ensinada, dar o melhor de si, aprender muito mais do que já sabe e sair de lá com uma carta de recomendação, tudo para completar a vontade de Arobynn e respeitar o castigo por suas ações.
E que conto, gente! Além de sermos jogados em um mundo diferente, com métodos de convivência, ensino... vemos Celaena bem mais humana, aprendendo a ceder, a mudar seu jeito e ter que se adaptar, até quando se trata de novas amizades.
O conto é repleto de pontos incríveis, culminando em um final ainda maior. Vale dizer que todos os contos se ligam,é realmente uma sequência de fatos na vida da assassina e que vão se encaixando perfeitamente. Esse foi um dos contos que mais me prendeu. Mesmo.


- Amo você - sussurrou Sam contra a boca da jovem.  - E, de hoje em diante, nunca quero ficar longe de você. Aonde for, irei. mesmo que signifique ir até o próprio Inferno, onde estiver, é onde quero estar. Para sempre.


E, depois de mudanças pessoais, onde a assassina acaba pensando mais, avaliando e não vivendo sempre na defensiva depois de tantos ensinamentos e dores pessoais, entramos no quarto conto, A ASSASSINA E O SUBMUNDO. Celaena tem novos questionamentos e preocupações a rodeando Ela se preocupa mais com Sam, já que não sabe por quais castigos ele passou, pois sabia que ele também sofreria consequências, assim como ela. E é junto de Sam, que as coisas começam a crescer e desandar.

O último conto - A ASSASSINA E O IMPÉRIO - é uma grande continuação do anterior, sem tantas separações. Arobbyn já não é o mentor pelo qual Celaena dedicaria e confiaria sua vida. Desconfianças surgem por todos os lados, assim como sentimentos mais fortes por Sam. Os dois continuam tentando controlar a situação e suas vidas, mas nada é tão simples quanto esperamos. Não mesmo. O final acaba sendo algo que te deixa totalmente surpreso, ainda mais porque Celaena é uma personagem que, apesar de não mostrar tanto para os outros, tem pensamentos intensos e sente muitas coisas. E é aí que somos guiados para o começo do primeiro livro.


Ela era fogo, era escuridão, era pó e sangue e sombra. Disparava pelas ruas, cada passo mais rápido que o último conforme aquele fogo negro queimava pensamentos e sentimentos até que tudo que restasse fosse ódio e a pressa. Celaena pegou ruas posteriores e saltou por cima de muros. Mataria todos.



Todo esse conjunto de contos faz um livro incrível! Claro que existem pontos altos e baixos, mas me considero alguém que sempre se prende nos pontos positivos na maioria das leituras. Para complementar, os contos se passam no fim dos 16 anos de Celaena e começo dos 17, então muitos dos dramas, desejos e vontades acabam sendo bem normais para uma garota com essa idade. Notamos que ela é quem sempre foi, criada para matar, onde sabe fazer isso sem exitar quando necessário e, aos poucos, conhecemos um lado bem humano da famosa assassina.
Um livro que mostra que tudo tem um preço e, nem sempre, pode ser algo que esperamos.

Se já começou a ler a série, recomendo muito que pare um pouco e use seu tempo para conhecer um pouco mais da personagem =D Ainda mais se o primeiro não foi tudo o que esperavam.
Minha vontade de ler todos os outros três livros já lançados aumentou muito <3


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: