A Menina Que Tinha Dons - M. R. Carey

By | 06:47 1 comment




Sinopse: Cultuado autor de quadrinhos e roteiros da Marvel e da DC Comics, entre eles algumas das mais elogiadas histórias de X-Men e O Quarteto Fantástico, o britânico M. R. Carey apresenta uma trama original e emocionante em sua estreia como romancista com A Menina Que Tinha Dons, lançamento do selo Fábrica231. Aclamado pela crítica, o livro se tornou um bestseller imediato na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos ao contar a história de Melanie, uma menina superdotada que faz parte de um grupo de crianças portadoras de um vírus que se espalhou pela Terra e que são a única esperança de reverter os efeitos dessa terrível praga sobre a humanidade. Uma comovente história sobre amor, perda e companheirismo encenada num futuro distópico


Seguimos com um livro que nos mostra que o mundo que conhecemos hoje, não mais existe. A realidade é dominada por uma praga que deixou grande parte do mundo se tornar um tipo de zumbi, os conhecidos Famintos. Como nem todos foram vítimas da praga, ainda existem humanos tentando sobreviver ao ar livre e alguns que, vivendo dentro de uma falsa segurança de laboratórios, cuidam de alguns espécimes enquanto cientistas estudam e tentam achar uma cura.

Ela sempre foi uma boa menina. Mas comeu pedaços de homens e muito provavelmente matou os dois. Matou-os com os dentes. Ela tem fome e eles foram seu pão. Então, o que ela é agora?


É ai que conhecemos Melanie, uma das crianças que vive em uma rotina de aulas, testes, alimentação de vermes e convive com algumas outras crianças. O bom é que o livro é escrito em terceira pessoa e conhecemos o ponto de vista de vários personagens. Vamos de Melanie, com todos seus pensamentos perante coisas novas, suas preferências ao gostar de uma professora e odiar outros; À visão da cientista responsável por selecionar qual criança morrerá em sua mesa, até um dos sargentos e a tão querida professora, Srta. Justineau.

Não conseguimos matar os famintos, então matamos a nós mesmos.


A trama é ótima, a ideia toda é muito incrível, porém...é uma leitura um pouco arrastada. Temos capítulos em que muitas coisas se repetem, termos que insistem em reaparecer e o livro se mantém sempre com aquela ponta científica pesada. Eu acho incrível, mas sempre me cansa com grande facilidade, o que não ajudou com a repetição excessiva. Para mim, os pontos altos eram capítulos mais "humanos" com Melanie e Helen Justineau. O bom é que ainda temos mais dois personagens masculinos que nos dão outro ponto de vista de tudo e as situações vão sendo bem equilibradas.

E depois com Pandora, abrindo a grande caixa do mundo e sem ter medo, nem mesmo se importando se o que estava dentro era bom ou ruim. Porque contém as duas coisas. Tudo sempre contém as duas coisas. Mas é preciso abrir para descobrir.


É um tipo de livro que, apesar de lento, te deixa em alguns cenários diferentes. Não quero dar spoilers, portanto não direi quais são e como tudo acontece, mas vale notar que assim que as coisas ficam intensas, as personalidades reais de cada personagem vão se mostrando aos poucos e notamos que até mesmo a pessoa mais "humana" pode se tornar um monstro para sobreviver.

No resumo, temos Melanie que acaba ligando todos os personagens importantes da trama. Uma garota que cresce absurdamente e se torna uma presença muito importante na questão entre vida e morte. E, enquanto alguns personagens se adaptam, cedem e se desculpam por erros, sempre teremos aqueles que jamais mudarão e cometerão os piores erros, repetidamente. O que é sempre um bom equilíbrio e faz o enredo parecer um filme bem interessante.

Não dá para voltar atrás. não dá para avançar. Não se pode ficar parado! Então, você escolhe outro rumo e sai de baixo. 


Por ser um livro sobre zumbis, se você é um fã...vá com calma. A dose de terror quanto a isso, mortes e sangue não é tão grande quanto o esperado. Temos ação e essa base de trama científica, com doses de suspense em alguns momentos chave. E preciso dizer que amei o final, apesar de sentir que pode ser considerado um clichê para alguns.

A boa notícia! O livro foi adaptado para as telonas, pela Warner Bros. e já tem um trailer que você pode conferir AQUI.
Eu adoooorei o trailer. Estou altamente ansiosa =D
Até onde consegui ter informação, o filme estreou em setembro lá fora, sem data para estrear por aqui.

É a primeira vez que elas se abraçam desse jeito - com Melanie dando conforto em vez de receber. E ela se lembra da srta. Justineau lhe fazendo a mesma promessa, embora não saiba dizer exatamente quando. Sente uma onda de nostalgia por essa época, qualquer que fosse. Mas ela sabe que não se pode ser uma criança para sempre, mesmo quando se quer. 

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário: