A Garota no Trem - Paula Hawkins

By | 10:12 Leave a Comment



Sinopse: Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.

Mais um daqueles livros em que ouvi tanta gente falando sobre, que eu sabia que tinha que ler. Porém, o que me fez o adiantar ainda mais na lista de livros a ler foi o trailer lançado há pouco tempo. Sim, geralmente prefiro ler os livros antes de ir ao cinema conferir o filme. E fico feliz que tenha feito isso, novamente.

Às vezes, me pego tentando me lembrar da última vez que tive contato físico de verdade com alguém, um abraço, um aperto de mão que seja, e sinto uma dor no coração.

Ouvi algumas críticas sobre o livro, de gente que foi com MUITA expectativa ler e se decepcionou. No meu caso, uma amiga havia me alertado que em certo momento do livro, algumas coisas deixam meio evidente o "culpado" pelo desaparecimento de Megan (como diz a própria resenha). Então, fui ler com calma e acho que isso ajudou muito, porque o livro me deixou bem empolgada.

Perdi o controle sobre tudo, até sobre os lugares dentro da minha cabeça.

Só que vamos ser sinceros. O começo do livro não é tão fácil devido a personalidade da nossa personagem principal, Rachel. Com uma vida difícil, um alcoolismo rolando, depressão e estar no que ela considera ser o fundo do poço, a personagem acaba sendo difícil de acompanhar. Por um lado, personagens reais são sempre boas, mas algo ali me incomodava. No entanto, a escrita da autora foi tão boa que isso acabou sendo muito bem trabalhado, ainda mais com flashbacks e momentos que iam intercalando com outros personagens da história. E sou sempre a favor de ver mesmos momentos por diferentes visões.

Sou invadida por uma sensação aguda de decepção, sinto como se eu tivesse sido traída. Uma mágoa familiar toma conta do meu peito. Já senti isso antes. Numa escola maior, em um grau mais intenso, claro, mas me lembro muito bem desse tipo de dor. Do tipo que não se esquece.

Agora, a parte importante que quero contar sem qualquer tipo de spoiler:
Sabemos que é um livro com trama policial, drama, suspense. Então... precisamos saber quem é o(a) culpado(a) e precisamos descobrir o motivo para o desaparecimento.  E é ai que o livro peca de leve. Sei que fui ler de mente aberta, sem esperar muito, sem sair fazendo descobertas sozinha e me deixando levar. Porém, algumas situações com a nossa personagem e outras personagens femininas acabam entrando naquela situação um tanto quanto cliché. O motivo para o desaparecimento, depois que as coisas se concluem, acaba sendo algo previsível. Notem que não deixou de me surpreender, mas ainda assim são coisa que sinto que são óbvias demais.

Nunca entendi como as pessoas podem negligenciar com tanta frieza os danos que causam ao seguir o que manda o coração. Quem foi que disse que fazer o que manda o coração é uma coisa boa? É puro egocentrismo, um egoísmo de querer ter tudo. 

Repito, o livro é ótimo! Achei que a leitura prendeu muito, que me fez ler rapidamente e querer terminar o momento decisivo da trama em uma madruga só. Mas eu ainda teria reescrito algumas coisas (se sentindo a autora). Teria deixado um pouco mais de suspense rolar, algumas cenas sendo ditas e explicadas apenas no final para não ter deixado alguns pontos chaves de personalidades tão evidentes. Creio que o suspense poderia ter perdurado um tanto mais dessa maneira.

"Nós somos felizes.", ele dizia. "Por que não podemos continuar assim?" Ele se decepcionou comigo. Nunca entendeu como é possível sentir saudade do que nunca se teve, e ainda chorar por isso.

É um thriller, sem dúvida. Se você é uma pessoa acostumada a ler esse tipo de livro, talvez as surpresas sejam muito menores e o livro não agrade tanto. Como geralmente não é minha escolha principal de livro, novamente afirmo que me deixou bem satisfeita e me surpreendeu. Sem contar que a autora nos faz criar um certo tipo de simpatia pelas personagens, ao mesmo tempo que nos faz odiar cada um deles.
E adoro isso! =D

Então fico pensando que às vezes isso acontece, não é? Gente com quem se tem uma história em comum acaba não saindo da sua vida, e, por mais que você tente, não consegue se desapegar, se libertar. Talvez, depois de algum tempo, pare até de tentar.

Para você que já leu, quer entender um pouco mais ou simplesmente prefere ver o filme de uma vez, você pode conferir o trailer AQUI  e ficarem tão ansiosos quanto eu. O filme tem data prevista de estréia para dia 27 desse mês!
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: