Espada de Vidro - Victoria Aveyard

By | 09:36 Leave a Comment




Sinopse: “Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.” O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.


Vamos lá. Ainda não tive a oportunidade de ler os contos do "Coroa Cruel", onde talvez algumas coisas e personalidades sejam mais explicadas, mas sinto que isso não afeta em nada meu julgamento sobre esse livro.


" 'Uma vez eu lhe disse para esconder seu coração. Você deveria ter escutado.'
Essas foram as últimas palavras dele para mim, antes de nos condenar à morte. Queria que não tivesse sido um conselho tão bom."

Talvez tenha sido a longa espera por esse livro, mas sinto que o desenvolvimento dele é totalmente de tirar o fôlego, mesmo quando os momentos são mais calmos, de parar, respirar e tentar pensar qual passo dar sem seguida. A autora ainda consegue dar alguns bons detalhes para muitas cenas, o que faz os capítulos serem mais longos, mas jamais cansativos, pelo menos para mim. Alguns personagens acabam tendo um destaque maior, principalmente Shade e Farley, algo que eu achei incrível pois amo os dois. No entanto, o querido príncipe fugitivo, Cal, tem algumas aparições mais discretas. E nada disso impede de todos eles terem um crescimento e desenvolvimento bem grande comparado ao último livro, mesmo que algumas coisas sejam impostas em cima deles devido as situações. E isso quer dizer que existirão muitos altos e baixos, sim. Personagens que uma hora tem uma opinião forte e em outra estão abaixando a cabeça. Acho que muitos se cansam disso, mas eu senti que só deixou os personagens mais reais, pois ninguém nasce sabendo o que fazer e personagens decididos demais tendem a errar absurdamente, friamente, e eu prefiro quando eles sentem, erram e aprendem =D


" Ficar sozinha é o maior de todos os meus medos. Então por que faço isso? Por que afasto as pessoas que amo? O que há de errado comigo? Não sei. E não sei como mudar. "

O enredo todo fica mais focado no grupo de Mare, Shade, Kilorn, Farley e Cal, tentando resgatar os sanguenovos listados por Julian. E claro que a tarefa não é fácil, ainda mais quando Maven parece estar sempre um passo à frente e dificultando tudo. Sem querer dar muitos spoilers, o enredo nos joga nessa busca por sanguenovos, treinamentos, Mare tentando encontrar o equilíbrio entre ser a garota que é caçada, que precisa liderar e precisa aprender a controlar sentimentos e seus poderes, e um monte de gente chegando com ou sem escolha para tentar sobreviver em um mundo onde uma guerra está prestes a começar.

"Com aquele único gesto, ele mudou meu futuro e destruiu o próprio."

Em alguns momentos importantes, senti que a autora peca por acelerar muito. Em um momento as coisas estão ali e do nada não estão mais. O que me deixou quase sem saber como reagir. O final em si segue esse mesmo ritmo de acelerar absurdamente em um momento que será um ápice esperado por todos que o lerem. Porém, talvez eu seja contraditória, mas o final em si, com toda a correria e tensão só me fez amar tudo e desejar tanto o terceiro livro que não sei como proceder com a longa espera que sei que me aguarda.

"Mas há amigos que eu trocaria, vidas que eu abandonaria para atingir meus objetivos. Já fiz isso antes. Não é difícil deixar pessoas morrerem quando isso garante a vida de outras pessoas."

Ah, e quando falo sobre não saber como reagir, vamos considerar a Victoria uma pequena pupila do George Martin (como diria nossa queria Chris). Ela não tem qualquer dó em simplesmente tirar de cena personagens queridos. Então, respire fundo e leia preparado para tudo. E mantenha essa mesma calma ao terminar o livro pois o terceiro volume tem previsão de ser lançado lá fora apenas em 2017 e ainda nem possui um titulo. Mas podemos esperar que a Editora Seguinte continue sendo incrível e faça aquele lançamento simultâneo.
Lembrando que o primeiro livro já foi traduzido para 18 idiomas e a Universal já adquiriu os direitos de adaptação para o cinema, o roteiro está sendo escrito por Gennifer Hutchison (Breaking Bad), e a produção ficará sob responsabilidade de Benderspink (Efeito Borboleta) e Pouya Shahbazian (Divergente).

" Não é a morte que temo, não mais. Estive perto de morrer tantas vezes que já não tenho mais medo. Temo a minha própria prisão, a ideia de ser capturada, forçada a usar algemas, transformada em uma marionete da rainha. Isso não posso suportar. Prefiro mil vezes morrer a enfrentar um destino assim. E o mesmo vale para qualquer um de nós. "
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: