O Castelo das Águias - Ana Lúcia Merege

By | 09:09 2 comments



Sinopse: O Castelo das Águias, romance fantástico de Ana Lúcia Merege, é um lugar especial. Localizado nas Terras Férteis de Athelgard, região habitada por homens e elfos, abriga uma surpreendente Escola de Magia, onde os aprendizes devem se iniciar nas artes dos bardos e dos saltimbancos antes de qualquer encanto ou ritual.
Apesar de sua juventude, Anna de Bryke aceita o desafio de se tornar a nova Mestra de Sagas do Castelo. Aprende os princípios da Magia da Forma e do Pensamento e tem a oportunidade de conhecer pessoas como o idealizador da Escola, Mestre Camdell; Urien, o professor de Música; Lara, uma maga frágil e enigmática, e o austero Kieran de Scyllix, o guardião das águias que mantêm um forte elo místico com os moradores do Castelo.
Enquanto se habitua à nova vida e descobre em Kieran um poço de sentimentos confusos e turbulentos, uma exigência do Conselho de Guerra das Terras Férteis põe em risco a vida e a liberdade das águias Com o apoio de Kieran, Anna lutará para preservá-las,desvendando uma trama de conspiração e segredos que envolvem importantes magos do Castelo.

Ouvir ao som de: 

Song of the Caged Bird - Lindsey Stirling


Estamos na terra de Athelgard e somos apresentados à Anna, que vem da cidade de Bryke, conhecida como a Floresta ddos Teixos. Ela se muda para Vrindavahn, para começar a trabalhar na escola mágica Castelo das Águias, sendo uma Mestre de Sagas.
E, com o nome do castelo, a trama toda do livro logo é apresentada e entendemos que as águias, animais que vivem por lá, se tornam o grande x da questão. Mas já chegaremos lá.

O livro me lembrou muito "O Senhor dos Anéis" no quesito nomes, funções, herdeiros e afins. Admito que no começo eu me perdia um pouco, tendo que adaptar a minha leitura para algo mais calmo, absorvendo cada nome e cada história ligada aos personagens apresentados. Um que foi fácil de entender logo de começo foi Kieran, o Mestre de Magia da Forma e do Pensamento. E claro que é aquele que desperta um certo interesse por parte de Anna, que acaba ficando mais atenta ao jeito do outro até notar que se entregava mais ao desejo de tê-lo com ela. Mas calma que o romance é de menos. Kieran ainda era um antigo Mestre das Águias, da cidade de Scyllix .

" Águia, águia, com suas asas majestosas,
Proteja-me do perigo.
águia, águia, de olhos como flechas,
Oriente meus passos.
Águia, águia, cujo grito rompe as nuvens,
Inspire minhas palavras.
Amanhã.
Doravante.
Sempre."


Falar apenas sobre Anna e Kieran seria um erro. O livro é repleto de personagens importantes e assuntos intensos; Alunos, pais, pessoas mais poderosas fazendo parte de um conselho e decisões à serem tomadas sobre as àguias, se as mesmas devem ser usadas para a guerra e levadas para outros locais onde a magia possa ser mais explorada. Claro que tudo isso exigiria mais dos animais, os fazendo sofrer para poderem se transformar em armas, e vemos que tanto Anna, Kieran e muitos outros são contra toda essa ideia.

Ponto alto do livro? Não esperava uma leitura absurdamente bem trabalhada. O enredo te carrega com calma, detalhes sendo colocados de maneira sútil e esperta. O livro tem o ritmo certo perante à eventos, sem se enrolar muito no ensino ou nos deixar com magia em excesso. E, para aqueles que já associam algo de magia à Harry Potter (do qual sou muito fã), não façam isso. O esquema de escola e envolvimento com a magia é bem diferente. Os personagens mais velhos são um grande destaque, o que dá um tom bem maduro ao enredo.

A autora nos consegue jogar em um mundo onde a política tem um poder mas se mistura de maneira tão incrível com a magia e suas tradições que, juro, se perder no enredo é a melhor coisa que acontece. Com todo tipo de crença, religião e até mundos variados. Nossa personagem principal é seguidora do Espírito do Lobo, que é de onde veio. Temos citações à Thonarr, Loki, e muitas partes da magia e histórias antigas dentro de um só livro. Temos preconceitos conforme uma mulher assume uma profissão de um elfo em uma sociedade que era machista, e onde suas crenças são diferentes. O bom do Castelo em si é que notamos que essas diferenças são aceitas e se concentram em um único lugar, cada um oferecendo o que tem de melhor aos alunos, em busca de aprendizado e harmonia. Anna pode ser considerada uma protagonista que se impõe e não vai aceitar tudo de cabeça baixa, usando seu conhecimento e apreciando tudo o que a ensinam, também.

Não achei a história em nada infantil. É bem trabalhada, sim. Temos um enredo, uma trama e um desfecho muito bom onde traições, amor, amizade, natureza e magia se misturam. Ana Lúcia Merege nos apresenta á um mundo super interessante, que merece ser conhecido.

" Que possa sempre a águia voar livre/ soberana dos céus/ e mensageira do sopro divino."



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Muito obrigada pela resenha, que bom que você gostou! Espero que leia também os outros livros e contos de Athelgard!

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada pela resenha, que bom que você gostou! Espero que leia também os outros livros e contos de Athelgard!

    ResponderExcluir