Gone – O Mundo Termina Aqui - Michael Grant

By | 11:50 Leave a Comment



Sinopse: Só restam os jovens: os adolescentes, os pré-adolescentes, as crianças pequenas. Mas nenhum adulto. Não existem mais professores, nem policiais, nem médicos, nem pais. E, também de repente, não há telefones, nem internet, nem televisão. Não há como descobrir o que aconteceu. Nem como conseguir ajuda.
A fome é uma ameaça. Os valentões tentam dominar todos os outros. Uma criatura sinistra está à espreita. Os animais estão sofrendo mutações, e os próprios jovens estão mudando, desenvolvendo novos talentos - poderes inimagináveis, perigosos, mortais -, que ficam mais fortes a cada dia.
É um mundo novo e aterrorizante. Cada um terá de escolher o seu lado para a batalha que se aproxima. Os moradores locais contra os riquinhos. Os fortes contra os fracos. As aberrações contra os normais. E o tempo está acabando: no dia do seu aniversário, você vai desaparecer, como todos os outros.

Sabe aquele tipo de livro onde os personagens são adolescentes mas as situações de caos são intensas demais para serem lidas pelos mesmos? Podemos deixar Gone nessa classificação. Eu li esse livro já faz um bom tempo e o motivo de estar fazendo uma resenha sobre ele é o mesmo de eu sempre tentar o procurar nas prateleiras das lojas e não achar... é ótimo e vale à pena indicar, sempre.

Fica fácil imaginar um mundo onde todos acima de 14 anos somem, certo? Sim. E o que vem disso? Caos. Ainda mais porque o acontecimento se dá todo de uma vez e crianças são abandonadas sem mais nem menos. E o livro mostra o que acontece com bebês sozinhos, casas distantes com crianças que mal sabem como tomar banho sozinhas e, tudo isso, faz o livro conter aquela realidade intensa e muito bem demonstrada. E a realidade fica na questão de sobrevivência, porque todo o fenômeno em si não pode ser algo normal, não é mesmo?

“Num minuto o professor estava falando sobre a Guerra Civil. No minuto seguinte, desapareceu.
Assim.
Sumiu.
Sem nenhum “puf”. Sem clarão de luz. Sem explosão.”

Como já li os dois primeiros livros, vou tentar me manter centrada em não falar demais e apenas apresentar a história e talvez tentar despertar o interesse de cada um de vocês.

O livro tem aquela realidade intensa que faz adolescente e crianças serem obrigados a amadurecer para achar maneiras de sobreviver. Rola um pequeno romance mas tudo foca mais na questão de sobrevivência, grupos que se separam, alguns que tentam tomar conta de uma situação e de todos, mesmo que não queiram tamanha responsabilidade. Crianças tentando achar comida, abrigo e a dor de perder mais alguém próximo que pode fazer aniversário e os 15 anos se tornar apenas uma passagem para um mundo além do qual todos eles estão. Não é o tipo de livro que vai te jogar em um mundo de distopia, com grandes filosofias políticas ou aventuras fenomenais. Mas é um livro que contém muitas páginas que te prendem o suficiente para você desejar ler mais, entender mais e saber o por quê de tudo aquilo acontecer.
O enrendo nos joga na Praia Perdida, na Califórnia, e tudo sobre o local parece esconder os motivos e segredos do desaparecimento das pessoas. Somos envolvidos por vários personagens, amando, odiando e torcendo cada hora por um. O livro parece ter tanta coisa acontecendo, mas as vezes um dia inteiro nem se passou direito e eu ainda acho que tudo isso é um ponto positivo enorme para a escrita.

Um livro que contém reviravoltas o tempo todo e que, infelizmente, pouca gente conhece. Um livro onde crianças ficam lutando para sobreviver ao mesmo tempo em que tentam cuidar e manter a ordem para as crianças menores, aprender a cuidar de hortas, procurar água, estocar remédios. O enredo aborda temas mais interessantes, até a parte sexual, religião, feminismo, canibalismo...e por ai vai.  É de tirar o fôlego e eu nem sequer terminei a série, e só ouvi elogios por aí. Recomendo sempre!

Por enquanto a série é composta por seis livros já lançados pela Galera Record. Gone, Fome, Mentiras, Praga, Medo & Luz.
A Sony comprou os direitos da saga em 2013 e uma serie de TV iria ao ar no mesmo ano, porém eles adiaram. No ano de 2015 o projeto foi tirado da gaveta e o roteirista Joe Barton (Já trabalhou em series como HUMANS) escreveu o roteiro e enviou para a SONY. Por enquanto não temos qualquer notícia além disso.

"- Todos esperamos que isso acabe. Todos esperamos que logo possamos voltar ao mundo com as pessoas que amamos. Mas agora estamos aqui. Estamos no LGAR. E o que vamos fazer é trabalhar juntos e cuidar uns dos outros, e ajudar uns aos outros."
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: