Alma? - Gail Carriger

By | 15:00 Leave a Comment



Sinopse: Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta. E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido. Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado?

Ler ao som de:

Sucré - Chemical Reaction


"Alma?" é o primeiro volume da série "O Protetorado da Sombrinha" , que nos apresenta a protagonista Alexia Tarabotti e suas inusitadas aventuras em um cenário Londrino Steampunk. Para quem não sabe, o termo Steampunk é um subgênero da ficção científica, ou ficção especulativa, que ganhou fama no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. Trata-se de obras ambientadas no passado, no qual os paradigmas tecnológicos modernos ocorreram mais cedo do que na História real (ou em um universo com características similares), mas foram obtidos por meio da ciência já disponível naquela época - como, por exemplo, computadores de madeira e aviões movidos a vapor.

Agora, focando de novo na história e na querida Alexia, entendemos desde o começo que ela é uma solteirona,com 26 anos de idade, pele morena e nariz protuberante, que claramente sofre um bullying da família que alega que a mesma ficará "para titia" com todo seu jeito de solteirona. O livro se passa na Inglaterra, e Alexia é uma garota sem alma. Isso mesmo. Ela ainda tem sentimentos, sabe o certo do errado, porém, consegue anular por o tempo de um toque os poderes de outros seres sobrenaturais, os deixando como humanos.
Nesse mundo que a autora nos apresenta, os humanos sabem da existência de todos esses seres e tudo segue de maneira tranquila, com leis e regras civilizadas. Um departamento é responsável por catalogar e fiscalizar todos esses seres.

" A sra. Loontwill nunca conseguira entender a filha mais velha. Imaginou que, se a mantivesse longe do altar, a moça irritante não se meteria em confusões. Mas, ao agir assim inadvertidamente, dera mais liberdade a ela. Pensando melhor, considerou que deveria ter arranjado um casamento para a filha. Naquele momento, a família inteira seria obrigada a aturar seu comportamento ultrajante, que parecia piorar à medida que envelhecia."

Tudo começa com a personagem sendo atacada por um vampiro, apenas por desejar comer sua torta e tomar seu chá tranquilamente em uma biblioteca, ignorando uma festa que acontecia no momento. Seu dom acaba a salvando, assim que o vampiro deixa de ser vampiro e ela consegue o matar, usando sua sombrinha e alguns palitos de cabelo. O livro precisa de um pouco de paciência para entrar em seu mundo e acompanhar o ritmo da autora. O que é um plus total para tudo isso é a personagem principal, que foge dos padrões da época e tem um humor que faz cada página ser mais divertida de ler do que a outra. Uma protagonista inteligente, teimosa, e com uma personalidade que vai muito além da beleza (ou falta dela, de acordo com os padrões apresentados pelas pessoas ao redor da mesma).

"Lorde Maccon nunca a vira chorar antes. Isso o deixou bastante abalado. Ele ficou furioso ao se dar conta de que algo entristecia sua corajosa Alexia.  Queria matar alguém, e, daquela vez, não por ser lobisomem. Até porque, como ela o segurava com firmeza, mostrava-se tão humano quanto possível." 

Além dela, acompanhamos um personagem importante para a rotina de Alexia, Lorde Maccon, que tem um jeito totalmente rude,é um lobisomem atraente apesar do humor, ainda mais quando tenta disfarçar o que claramente sente por Alexia. Ainda conseguimos ter a visão do mesmo durante o livro, o que é ótimo.
A autora ainda nos apresenta uma trama com ação, romance, ciências e todo um lado de leve crítica à sociedade do momento.

"Lorde Maccon observou-a, com admiração. A srta. Tarabotti podia ter uma visão crítica do próprio rosto sempre que se olhava no espelho de manhã, mas não havia nada de errado com sua própria aparência. O conde só deixaria de notar esse detalhe tentador se tivesse bem menos alma e desejos sexuais. Mas é óbvio que ela sempre estragava o momento sedutor ao abrir a boca. Na humilde opinião dele, ainda estava por nascer uma mulher mais irritantemente tagarela." 

É necessário dar uma chance à sua escrita para poder se sentir bem e confortável no mundo apresentado. Admito que assim que consegui abrir a mente, tudo ficou mais fácil e incrível até o fim. A escrita é feita em terceira pessoa, o que pode deixar alguns desconfortáveis. Não é um livro para os menores desacostumados com o contato humano entre casais ;D Um hot leve e bem escrito.
Indico para quem quiser explorar um outro tipo de livro sobrenatural, sem dúvida alguma.

"A jovem concluiu, naquele exato momento, que Lorde Maccon possuía dois modos de operação: irritado e excitado. Perguntou a si mesma com qual deles preferiria lidar no dia a dia. Seu corpo se meteu no debate sem o menor constrangimento, levando-a a uma escolha tão chocante que ela ficou muda por muito tempo."

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: