Primeiras Impressões - Shadowhunters

By | 10:31 Leave a Comment






Sinopse: Baseada nos livros Os Instrumentos Mortais, a série acompanha a jovem Clary Fray, de 18 anos de idade, que descobre em seu aniversário que ela não é quem pensava ser, mas que vem de uma antiga linha de Caçadores de Sombras – seres híbridos de humanos e anjos que caçam demônios. Quando sua mãe Jocelyn é sequestrada, Clary se lança no mundo de caça aos demônios junto do misterioso Caçador de Sombras Jace, e seu melhor amigo, Simon. Agora vivendo entre fadas, feiticeiros, vampiros e lobisomens, Clary começa uma jornada de autodescoberta enquanto aprende mais sobre seu passado e percebe como poderá ser seu futuro.



E vamos lá.
(Pequenos comentários na resenha/fotos por Chris Armando)

Shadowhunters estreou essa semana e a Netflix exibiu já seu primeiro episódio e poderemos conferir os mesmos por lá sempre um dia após o lançamento nos EUA. O que para mim já é um grande passo para uma série nova, afinal não vamos ficar nos matando por esperar ou caçando episodios por aí. Para uma pessoa que é totalmente louca pela série de livros Instrumentos Mortais e ama praticamente tudo o que a querida Cassandrinha escreve (para quem não sabe ainda, Cassandra Clare é a autora da série Instrumentos Mortais, vaila e faz a lição de casa lendo os livros), eu senti que poderia ser um pouco suspeita para vir aqui e falar do episódio. 

Depois de uma tentativa cinematográfica com um filme que não teve o retorno esperado em 2013( e que eu gostei da adaptação, não vou negar! Mesmo com a Chris Toda hora falando que aquilo foi o desastre¬¬), eis que surge mais uma chance de ver os personagens que eu tanto amo, se espalhando e sendo incríveis. Depois de tanto receio ao longo do tempo, com imagens, pequenos vídeos e divulgações, a espera foi recompensada. 

Eu to tão in love com isso *-*


Mas vamos com calma, POR FAVOOOR!!! Sabemos novamente que tudo faz parte de uma adaptação. Para os fãs mais antigos da série Instrumentos Mortais, vale ressaltar que isso não nos garante total fidelidade de cenas. Temos a base de uma história que será ADAPTADA para as telas. 

Então, dito isso...O elenco é ótimo? Sim! Tentaram da maneira que puderam se adequar aos personagens do livro ao mesmo tempo em que pensaram em adaptar para todos os públicos que veriam a série e não teriam qualquer conhecimento dos livros. Até agora ta tudo bem por aí.

Fala sério gente! Ele tem os caninos protuberantes já minha genteeeee!!!!! Okay... entendedores saberão


Agora... Pecam em atuação? Com certeza. E muito. Atores de séries novas evoluem muito com o tempo e garanto que já vi outras séries em que os episódios pilotos são sempre muito crus em tudo isso. A esperança é que as coisas melhorem. Mas não posso generalizar. Então vou falar um pouco dos que mais amei aqui, ok? OKAY!


- Emeraude Toubia (Isabele Lightwood) - que encarnou uma Izzy perfeita, com todo seu jeito sedutor, confortável com o próprio corpo e, claro, perucas. Cada sorriso e gesto dela fazem a Izzy perfeita surgir, até com suas pequenas provocações com Simon.

- Alberto Rosende (Simow Lewis) - que tem toda uma simpatia absurda, faz o papel de melhor amigo que é cuidadoso ao mesmo tempo que não tem medo em notar que sua amiga está agindo como uma completa louca e, ainda assim, não pensa duas vezes em ficar ao lado dela em um mundo novo, com seres novos e pronto para a ajudar na busca por Jocelyn. Alberto querido, você já me ganhou!

- Harry Shum Jr. (Magnus Bane) - que mesmo tendo aparecido pouco demais para o meu gosto, deixou os jeitos e personalidade de Magnus muito bem claras( e como diria eu, Chris Armando, Magnus é o único que tanto na capa do livro como filme e série se conversam, SÃO PERFEITOS )


Os efeitos são bons ou ruins? Eu diria que são medianos. Acho que o canal oferece o que pode e eu não esperava mais já que mantive minhas expectativas baixas porém positivas. Muita coisa me surpreendeu com isso, sem contar o enredo que é totalmente de tirar o fôlego. E quando digo de tirar o fôlego é verdade, porque eles simplesmente saem jogando várias informações e senti que contaram muita coisa do primeiro livro em um episódio só. Claro que por ser diferente do filme, a série tem toda a proposta de apresentar o mundo dos shadowhunters sem calcular muito o tempo, fazendo tudo da maneira que quiser, se prendendo e desviando do caminho até chegarem ao mesmo resultado. Se as coisas mudaram? Claro! Mas ainda é exatamente o que leitores sabiam que aconteceria e que pessoas novas vão conseguir gostar e se prender ao mundo apresentado.

Tem mais? TEM SIM!!!

Mas voltando aos atores, porque está fácil demais perder o foco. 

- Matthew Daddario (Alec Lightwood) - pareceu um tanto mais preso dentro de si, o que pode ser uma boa maneira de tentar mostrar a personalidade mais irritada que Alec toma quando Clary se joga de cabeça no mundo deles. Ainda fez o papel perfeito de um irmão que lida com uma garota como Izzy e age como um perfeito parabatai de Jace ( para mais sobre "parabatai" de uma aqui,ou vá ler os livros, já avisei, lição de casa!).


- Katherine McNamara e Dominic Sherwood erram um tanto com atuações um tanto forçadas e meio perdidas. Mas, para mim, isso é apenas o início de tudo e não algo que me incomode absurdamente. Porém, querida Kat, vamos controlar essa cara e surpresa e medo só um pouquinho, ok? 
Outro fato sobre a série, Clary já sabe que quer encontrar e salvar sua mãe e não vai se importar de deixar suas opiniões e vontades muito claras, o que mexe com Jace e irrita Alec mais ainda, acelerando todo um processo de aceitar entrar no mundo das sombras, entender quem é e aí tentar focar em como salvar sua mãe.




Não esquecendo que a série escolheu mostrar um caminho investigativo, onde teremos Luke Graymark (I
saiah Mustafa) como o responsável por manter a ordem e a paz com seu distintivo. Isso, com toda certeza, pode dar mais destaque ao personagem e levar a série para um lado que eu queria muito que não existisse, com pequenos casos sobrenaturais à serem resolvidos. O que não terá problema se tudo nos levar à ele, sim, Valentim Morgenstern (Alan van Sprang) e toda sua mente altamente perturbada, que manterá Jocelyn com ele até conseguir tudo o que precisa( e cá entre nós, de mente perturbada esse ator entende bem... Mais lição, assistam a série Reign! Deixarei essa indicação para outro post!).

A série ainda deu um destaque maior à personagem Dot (Vanessa Matsui), que acaba tendo um papel muito maior sendo a responsável por poder acordar Jocelyn de seu sono profundo, induzido por ela mesma em uma tentativa de proteger a filha. 

Jocelyn (Maxim Roy),
 é aquela que lutou bravamente e nos deu o gosto das cenas de ação que a série promete ter. 
E ainda pudemos ter um pequeno momento com Hodge Starkeather (Jon Cor), e seu drama por estar preso no instituto e dores com uma runa que o queima, por ter tido sua parte em um passado totalmente errado.



Gente, parem de ficar exibindo tudo aiii... vá com calma!

A audiência da série foi uma das mais vistas na sua estréia e isso tende a ser um ponto positivo. Ao menos, é uma chance de continuarem mostrando o que querem fazer com a história e personagens. O que uma série dessas precisa é do apoio dos fãs. Eu ainda acho que é uma série que pode se desenvolver muito desde que tenha essa oportunidade. 

Se você aceita seres fantásticos, demônios, feiticeiros, ação, pitada de comédia e romance, assista sem pensar duas vezes e tire suas próprias conclusões. E nunca, nuuuunca se prenda apenas ao piloto. Uma série merece a chance de ser avaliada com alguns episódios e, conhecendo a história como eu conheço, vale a pena esperar a semana passar, sentar e ver mais e mais do que irão nos oferecer.

Amamos, sem dúvidas!




Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: