Planolândia (um romance de muitas dimensões) – Edwin A. Abbott

By | 16:00 Leave a Comment


Sinopse: A fértil imaginação do autor, aliada a uma exótica mistura de matemática, física, ficção, crítica social e certa dose de sarcasmo resultaram em uma aventura que mesmo depois de um século de existência constitui leitura deliciosa.
Em Planolândia, figuras geométricas dotadas de características bastante humanas convivem em um universo bidimensional onde a ordem é mantida a ferro e a pelas autoridades poligonais e circulares. No entanto, todas as convicções de um incauto quadrado planolandês ameaçam ruir quando um visitante esférico irrompe para revelar a transtornante existência de uma terceira dimensão... Acho que a natureza humana se implica e se satisfaz no descobrir, procuramos respostas para as grandes perguntas e quando as encontramos procuramos perguntas ainda maiores, o descobrir talvez seja a maior razão de nossa existência, ao menos a meu ver, caso pense o mesmo a obra de Abbott será um banquete! A obra publicada em 1884, na Inglaterra pelo educador Edwin A. Abbott trata-se de um questionamento a respeito de nossa própria existência, ele utiliza-se de alegorias didáticas para nos proporcionar discussões filosóficas de extrema profundidade, onde não só aponta uma visão sócio-cultural diferenciada como instiga aos seus leitores a questionarem os conceitos que até então são certezas em nosso universo, e como ele faz isso? Com um quadrado. Sim, com um quadrado, nosso personagem principal é uma forma geométrica que reside em um universo paralelo onde são conhecidas apenas duas dimensões, do contrário do nosso que temos a percepção de no mínimo três dimensões, e essa existência bidimensional é tratada com maestria incrível na primeira parte do livro que se dedica a explicar a nós habitantes de “espaçolândia”, as razões, doutrinas, percepções e conceitos dessa realidade tão pouco palpável para nós, porém o romance em sua segunda parte trata de desconstruir as concepções enraizadas e utiliza-se de argumentações criativas e incrivelmente simples para tornar nossa visita a esse universo mais do que entretenimento, mas sim um verdadeiro aprendizado. Em dado momento nosso protagonista bidimensional se vê dialogando com um ser superior, algo além de seu plano, algo tridimensional, e esse ser com idéias absurdas como identificar outra forma apenas pelo sentido da visão ou ser capaz de diferenciar luz e sombra, o obriga a olhar para sua própria existência de maneira diferenciada, e para tanto ele apresenta ao nosso amigo bidimensional um plano unidimensional. As aventuras de nosso protagonista pelas diversas dimensões não apenas tornam a obra divertida como também introduz a nós leitores a conceitos da filosofia e da matemática de maneira simples e leve, nosso carismático quadrado é o narrador da obra e ele rompe com a quarta parede de tal forma que seria fácil dialogar com a personagem durante todo o livro. Uma leitura recomendada para aqueles que procuram saber mais sobre o que é existir, e para aqueles que buscam quebrar os paradigmas e desconstruir todo e qualquer conceito que tomamos como certeza.

Escritor convidado: Thiago Scornaienchi : Ex-livreiro, escritor publicado pela revista Kyrial e Arte ATACA! Louco da cachola, questionador convicto, amante da melancolia, barbado e esfomeado.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: