O Chamado do Monstro - Patrick Ness

By | 14:07 Leave a Comment




Sinopse: A escuridão, o vento, os gritos. Os olhos estatelados, a respiração entrecortada. É o pesadelo de novo, como em quase todas as noites depois que a mãe de Conor ficou doente. A escuridão, o vento, os gritos - e o despertar no mesmo ponto, antes de chegar ao fim. Tudo é tão aterrorizante que Conor não se mostra nem um pouco assombrado quando uma árvore próxima à sua casa - um imponente teixo - transforma-se em um monstro. Além disso, ele precisa lidar com coisas mais urgentes e graves - o reinício dos tratamentos contra o câncer aos quais sua mãe terá que se submeter, a vinda da avó para ajudá-los, a permanente ausência do pai desde que ele foi morar com a nova família e a pesada perseguição na escola, da qual é vítima quase todos os dias. Tudo muito mais perturbador do que uma criatura feita de folhas e galhos. Só que o monstro sabe que Conor esconde um segredo. E isso o torna realmente assustador. Mas por que Conor deveria dar ouvidos a algo que parece imaginado? Por que o monstro parece ser a única criatura a estar ao seu lado diante de seus maiores medos - o de perder a mãe e o de contar a verdade.



Sempre tem aquele livro que você julga pela capa, certo? Então, pensa em um livro que por muitos anos você julgou sua capa E titulo? Bom, esse foi meu caso com esta história.

O Chamado do Monstro, é uma daquelas obras que conseguem trabalhar as imagens de ilustração e texto em conjunto. Ao mesmo tempo que você lê e absorve a narrativa,você também mergulha em um universo especial de ilustrações que utilizam muito preto para nos fazer associar e pensar na escuridão.

- Mas o que é um sonho, Conor O'Malley? - perguntou o monstro, abaixando-se para que seu rosto ficasse próximo ao do menino. - Quem pode dizer que a vida real que não é um sonho?

A história é contada por um pré-adolescente que, além de ir para escola e cuidar de sua mãe, também começa a ser visitado por um monstro.

Você acha que ele se assusta? Engano seu. Como ele mesmo diz ao monstro: "já vi coisa pior".
E viu mesmo. Uma história só dele, que o atormenta mais que qualquer monstro ou valentão da escola. Uma história real.

Às vezes as pessoas precisam mentir para elas mesmas, mais do que para qualquer outro.


A narrativa te convida a mergulhar nesse universo onde fantasia e realidade são como um caminho para o temido fim. Conhecemos monstros piores que aqueles assustadores que podem aparecer durante a noite e somos levados a viver como o pequeno Connor O'Malley, descobrindo o quanto a fantasia pode ser melhor do que a realidade.

Basicamente, o livro te convida a conhecer os piores pesadelos de alguém e mais ainda, te convida a sentir na pele qual poderia ser o mais temido monstro de todos: A Verdade.


Nem sempre há um bonzinho. Nem sempre há um vilão. A maior parte das pessoas fica entre um e outro.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: